Entenda a nutrição esportiva. Do papel do profissional de nutrição esportiva ao campo de atuação, bem como a importância da área e muito mais!

_____

Dentre as diversas áreas da Nutrição, a esportiva vem ganhando bastante visibilidade ultimamente. Como o próprio nome já diz, é a associação da alimentação com a prática de esporte. Mais do que isso, trata-se da ciência que aplica os conhecimentos sobre nutrientes ao desempenho físico. Orientando não só para busca de resultados, no caso dos atletas, como da promoção da saúde e melhora da performance de praticantes amadores. Profissionais que entendem de fisiologia e bioquímica do exercício, além de nutrição, estão aptos a corrigir erros na alimentação. Atuam com o objetivo de aprimorar o desempenho em determinada atividade, além de promover a melhor recuperação do organismo. No entanto, a nutrição esportiva tem um universo bastante amplo, e não é tão simples enxergá-lo em sua totalidade. Por isso, neste artigo, reunimos tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Do papel do nutricionista esportivo ao campo de atuação. Assim como a importância da área, o mercado de trabalho atual e o que é preciso fazer para trabalhar na área. Não deixe de ler!

O que é a nutrição esportiva?

De maneira simples, podemos dizer que nutrição esportiva é a área que estuda a relação entre alimentação e prática de esporte. Seja por atletas profissionais e amadores ou praticantes de atividades físicas. Trata-se da aplicação dos conhecimentos de nutrição, fisiologia e bioquímica na prática de exercícios. Isso é feito com o objetivo de melhorar o desempenho, otimizar a recuperação pós-exercício e promover saúde. Em função da influência dos nutrientes no desempenho do organismo, é possível buscar melhores resultados mudando a alimentação. As principais metas costumam ser a perda de gordura e o ganho de massa magra, ambos diretamente relacionados à nutrição. Além disso, o esforço físico excessivo pode provocar alterações fisiológicas e desgaste nutricional no atleta. Por isso, é preciso fazer a correta compensação por meio da alimentação. Na prática, é tida como uma especialidade da nutrição voltada ao atendimento de atletas e pessoas que praticam atividade física regular.  Individuados que buscam melhorar o seu rendimento e modificar a composição corporal. Por isso, vem ganhando mercado também nas academias. Além de objetivar indivíduos mais saudáveis, o nutricionista esportivo atua no sentido de melhorar o desempenho de seus pacientes na prática do esporte. Assim, a base dessa ciência é a conjugação dos benefícios desses dois pilares da boa saúde: exercício e alimentação.

O que faz o nutricionista esportivo?

O especialista em nutrição esportiva deve avaliar, além do estilo de vida e hábitos alimentares do paciente, a preparação física e psicológica. A sua atuação, antes mais restrita ao meio do esporte de alto rendimento, hoje se estende ao universo das academias, expandindo seu campo de atuação. O nutricionista pode trabalhar em clubes, academias, consultório e personal diet, fazendo atendimento personalizado e domiciliar. Quando se tratam de atletas profissionais, como jogadores e competidores, é provável que ele faça parte de uma equipe multidisciplinar. As consultas devem avaliar o histórico do paciente. Assim como seus hábitos, a fim de criar um plano alimentar específico para a busca do equilíbrio do organismo e melhora da performance. Ao prescrever um plano alimentar o profissional deve observar os micro e macronutrientes necessários ao bom desempenho de determinada atividade. Deve levar em consideração também os níveis de hidratação. Para isso, é preciso conhecer a fundo a rotina de preparação física, pois a dieta deve considerar os horários e durações dos treinos, garantindo o aporte de energia e de proteínas para a recuperação muscular. Além disso, cabe a ele determinar a necessidade e, se for o caso, indicar suplementação. Além de uma dieta regular, o plano deve prever modificações alimentares de acordo com os objetivos para cada evento, como competições e períodos de recuperação.

Principais atribuições do nutricionista esportivo

Qual a importância da nutrição esportiva?

Proteínas, lipídeos, carboidratos vitaminas e minerais são nutrientes que fornecem disposição e energia, além de serem responsáveis pela construção e reparação dos músculos após a prática do exercício. Já a atividade física regula o metabolismo, melhora a qualidade dos órgãos e ossos e contribui para a queima de gordura. Dessa maneira, a dieta deve ser associada ao tipo de exercício, uma vez que as quantidades e os nutrientes necessários são diferentes, de acordo com a modalidade praticada e a composição corporal do indivíduo. Assim, o plano alimentar de alguém que pratica atividade física regularmente precisa ser diferenciado, de acordo com o tipo de exercício executado e com a duração do mesmo. O atendimento deve ser global, considerando as individualidades do atleta, suas necessidades energéticas, funcionamento de sistema digestivo, hormonal, dentre outros, além dos impactos de tudo isso no desempenho durante a atividade e vice-versa. Para isso, é preciso um conhecimento aprofundado sobre fisiologia do exercício, o que não necessariamente é requerido de um nutricionista geral. Por isso a especialização em nutrição esportiva é tão importante. Diante das fortes tendências atuais de busca por um corpo mais saudável e mais qualidade de vida, cada vez mais pessoas buscam adaptar sua alimentação e estilo de vida, buscando equilíbrio e rendimento, aumentando a demanda pelo atendimento personalizado no esporte. Cresce o número de veganos e vegetarianos, bem como consumidores de produtos integrais e orgânicos, e, principalmente, de praticantes de atividade física. Levando em conta as necessidades desse paciente mais ativo e consciente, é importante que os profissionais de nutrição estejam aptos a orientá-los, no que diz respeito à nutrição esportiva.

Qual o papel da suplementação?

Outra questão extremamente relevante é o aumento da oferta e a facilidade de acesso aos suplementos nutricionais. É cada vez maior o número de consumidores de aminoácidos — arginina e creatinina — carboidrato em pó e proteínas, sem qualquer acompanhamento profissional. É o nutricionista esportivo quem está apto a recomendar o uso desses produtos, elaborando uma recomendação personalizada para cada paciente, de acordo com a necessidade, objetivo, composição corporal, tipo, frequência e intensidade da atividade praticada. Além disso, a suplementação de ômega 3, vitaminas e minerais também podem ser indicadas por esse profissional, com o objetivo de reduzir a fadiga muscular e contribuir para a recuperação pós-treino.

Como se qualificar para trabalhar com nutrição esportiva?

Para se qualificar para trabalhar com nutrição esportiva é fundamental investir em uma especialização na área. Além de se graduar em Nutrição e se registrar no Conselho Nacional de Nutrição —  o registro obrigatório para o exercício da profissão — para trilhar uma carreira como nutricionista esportivo é preciso seguir adiante, buscando aperfeiçoamento na área da saúde por meio de um curso de pós-graduação. Uma pós-graduação em nutrição esportiva têm duração média de 18 meses, abordando uma vasta gama de disciplinas diretamente relacionadas, como Bioquímica e Fisiologia do exercício, Fisioterapia aplicada ao esporte, Métodos de treinamento Esportivo, Nutrição Magistral, Suplementação, Antropometria e outras. Além disso, envolve conteúdos essenciais à gestão da carreira em saúde, como Marketing e empreendedorismo, Metodologia Científica e Prática em consultório e vivência em modalidades esportivas. A Faculdade IDE oferece a pós-graduação em Recife, com o curso Nutrição aplicada à prática esportiva, disponível também na unidade Caruaru. Outra forma de se valorizar no mercado é obter o Título de Especialista em Nutrição (TEN), concedido pela Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN), somente para profissionais com mais de três anos de formados. O título pode ser obtido por análise curricular ou mediante prova escrita, aplicada anualmente. No caso do nutricionista esportivo, vale lembrar que é essencial investir em atualização constante, com a participação em palestras, congressos, workshops e eventos da área.

Quais profissionais podem atuar na nutrição esportiva?

Como mencionado, a atuação em nutrição esportiva exige, antes de tudo, uma graduação no curso de Nutrição. No entanto, o trabalho como nutricionista esportivo demanda conhecimentos específicos mais aprofundados, sendo comumente desempenhado por especialistas na área. Além disso, o profissional que optar pela nutrição aplicada ao esporte deve ter interesse e afinidade pelo assunto, bem como habilidades multidisciplinares e curiosidade pelas novidades, uma vez que é preciso atualização constante para se destacar no mercado. Vale também se inteirar das políticas públicas de saúde, além de administração e planejamento em saúde para sobressair na carreira. Além disso, como acontece em outras áreas, o atendimento humanização e a atenção à satisfação do paciente também são tendências na nutrição.

Nutrição esportiva: TUDO o que você precisa saber!

Vale a pena trabalhar na área?

Como já vimos, a preocupação com o condicionamento físico e a alimentação são crescentes na nossa população, seja por questões de saúde ou estéticas. Dessa maneira, os negócios ligados à beleza, bem-estar e esportes estão em expansão no Brasil, toma-se como exemplo, o fato de o país ser o segundo do mundo em número de academias, perdendo apenas para os EUA, segundo dados da ACAD — Associação Brasileira de Academias. Da mesma forma que aumenta o número de pessoas interessadas em consultar-se com um nutricionista, cresce o interesse de estudantes pela área. Diante de um maior número de profissionais, ter uma especialidade é fundamental para ter um diferencial no mercado. O campo de atuação do nutricionista esportivo é muito amplo, indo de clubes e times esportivos até clínicas e consultório para atendimento particular. Isso graças à conscientização da sociedade acerca da importância da prática de atividade física regular e de uma dieta equilibrada. Assim, tanto no setor público quanto privado, há demanda por profissionais com especialização, seja em instituições de saúde, equipes esportivas ou academias.

Qual a remuneração média?

Quanto à remuneração, assim como nas demais áreas e profissões, pode variar bastante. De acordo com a Catho, a média salarial no início de carreira, no Brasil, é de R$2.000,00. Mas o salário pode chegar a R$6.000 para profissionais com mais de 8 anos de experiência. O salário médio inicial não é tão alto. Mas é comum o que o profissional de nutrição esportiva tenha mais de um emprego, acumulando rendimentos e atingindo uma renda mais alta. No entanto, além da experiência outros fatores contam, como a localidade e a popularidade. Atuando em locais como Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal as possibilidades de ganho são maiores do que nas regiões Norte e Centro-Oeste, por exemplo. Já a popularidade refere-se a autoridade construída tanto no meio quanto com os próprios praticantes de atividades físicas, incluindo celebridades. Profissionais que conquistaram notoriedade nas redes sociais chegam a ganhar muito por hora, alcançando ganhos bem mais elevados. Além do marketing, outros conhecimentos e habilidades, como o planejamento financeiro, podem ajudar na construção de uma carreira bem-sucedida na área da saúde.

Por que fazer uma pós-graduação em nutrição esportiva?

Assim como ocorre nas demais carreiras da área de saúde, a especialização na nutrição é essencial para a valorização do currículo, criando novas possibilidades de atuação e permitindo que o profissional ascenda na carreira, inclusive financeiramente. Cursar uma especialização pode ampliar as áreas de atuação do nutricionista. A pós-graduação em nutrição esportiva tem por objetivo principal formar profissionais com uma visão diferenciada, capazes de compreender não só a atividade física como as adaptações físicas e metabólicas necessárias a sua prática. Assim, trata-se de uma formação multidisciplinar e ampla no campo da saúde, munindo o profissional de uma visão da nutrição não apenas ligada à alimentação, mas a todo o sistema biológico e psicológico do indivíduo. Além disso, podemos citar inúmeros benefícios de se cursar uma pós-graduação. Confira!

Ampliar conhecimentos

Os conhecimentos passados durante a graduação são gerais e abrangem todas as áreas de atuação do nutricionista. É na prática que o profissional se aprofunda, porém, para adquirir conhecimentos mais específicos sobre uma determinada área de atuação, é necessário investir em educação continuada, seja por meio de cursos de aperfeiçoamento ou de pós-graduação. No caso da pós-graduação, o ensino direcionado a uma única área forma um especialista, permitindo que o profissional adquira conhecimento, desenvolva habilidades e possa atuar em campos que exijam qualificação, experiência e formação diferenciadas.

Novos horizontes

Quando o objetivo é se reposicionar no mercado, corrigindo a rota profissional, a melhor maneira é por meio de uma pós-graduação. O curso oferece, em pouco tempo, um apanhado geral sobre uma área específica, abrindo novas oportunidades de ação dentro da carreira. A nova formação pode servir de trampolim para conseguir novos empregos, ou mesmo cargos mais altos dentro da instituição em que já atua. Lembrando que especificamente na área da saúde, a especialidade é valorizada tanto pelo meio quando pelos pacientes.

Rede de contatos

Um dos maiores benefícios de qualquer pós-graduação é a possibilidade de fazer networking, ou seja, ampliar a rede de contatos profissionais. Além dos professores, que frequentemente são nomes renomados da área, os colegas de turma também podem vir a se tornar parceiros de trabalho, ou mesmo de pesquisas. Afinal, a nutrição, como qualquer carreira na área de saúde, oferece também possibilidades acadêmicas. A troca de conhecimentos e experiências bem como a oportunidade de se fazer conhecido no mercado são alguns dos benefícios de uma boa rede de contatos.

Novas oportunidades de atuação

Como falamos, uma pós-graduação amplia os horizontes profissionais, em parte porque torna o profissional apto a ocupar cargos para os quais não tinha qualificação antes. Em uma área onde os conhecimentos específicos fazem tanta diferença quanto a experiência, e em tempos de alta concorrência, se tornar um especialista é um grande diferencial no mercado. As descrições de cargos são cada vez mais detalhadas exigindo diversas especificidades inerentes ao exercício do cargo, inclusive no caso de vagas abertas por concursos. Isso acontece em função da velocidade do mundo atual, em que o mercado espera receber profissionais o mais prontos possíveis, que demandem menos tempo de treinamento.

Melhora do currículo

Experiência é o que mais conta em um currículo, porém, para alcançá-la, o tempo é imprescindível. Uma forma de valorizar o seu currículo mais rapidamente é por meio de uma formação de qualidade. Incluir uma pós-graduação no currículo faz com que ele se torne mais valioso no mercado, diferenciando-o dos demais profissionais nos cursos de graduação. Ou seja, é um atalho para subir degraus na carreira.

Valorização profissional

Cada área tem peculiaridades que conferem destaque ao profissional, certo? Na publicidade por exemplo, os prêmios são extremamente valorizados. Pois, na saúde, os títulos têm o mesmo peso. Ao pendurar a plaquinha de especialista na porta do consultório, o profissional, seja médico, fisioterapeuta, dentista ou nutricionista, muda de status. Além disso, os pacientes também costumam valorizar as especialidades, sentindo-se mais seguros em serem atendidos por quem realmente entende do assunto.

Aumento salarial

Essa valorização se reflete também na remuneração. Segundo a Catho, especialistas chegam a receber até 70% mais do que os profissionais sem nenhuma qualificação. Isso acontece porque currículos diferenciados são selecionados para as melhores oportunidades de emprego e também porque o nutricionista especializado pode cobrar mais por suas consultas, já que é valorizado pelos pacientes. Além disso, as instituições tendem a remunerar melhor os especialistas e os melhores cargos e salários são restritos aos profissionais mais qualificados. Por outro lado, com a popularização da atividade física e de determinados esportes, a atuação em clubes e times esportivos também é bastante valorizada.

Habilidades comportamentais

Algumas habilidades comportamentais também são desenvolvidas na pós graduação.

Desenvolvimento pessoal e intelectual

O comprometimento com a formação e a carreira exige dedicação, denotando um nível de maturidade e foco profissional que costuma ser valorizado pelo mercado. Soma-se a isso o ganho pessoal e intelectual de se aventurar em um novo universo dentro da profissão, ampliando a visão científica, as habilidades técnicas e a capacidade de ensino aprendizagem.

Autoconfiança

O aluno conclui a pós-graduação munido de informações específicas acerca de uma determinada área de conhecimento e atuação. Além de mais confiança no desempenho de sua função. O suporte teórico e prático de um curso como esse garante ao nutricionista um atendimento mais qualificado. O consequente reconhecimento profissional também contribui para esse ganho de confiança. Por tudo isso,  a nutrição aplicada ao esporte é uma tendência profissional da área, sendo cada vez mais requisitada. Dessa maneira, investir nessa carreira, apostando em uma pós-graduação na área, é o caminho de sucesso para profissionais que se interessem pelos efeitos da alimentação na prática esportiva. Enfim, o caminho para atuar nesta área cheia de possibilidades e encantamentos, passa necessariamente pela graduação em nutrição, e preferencialmente pela pós-graduação. O curso específico na área, além de capacitar o profissional ao exercício das funções do nutricionista esportivo, traz uma série de outros benefícios para alavancar uma carreira na área de saúde.  A nutrição esportiva vem se tornando popular entre os praticantes de atividades físicas de maneira geral. Mais preocupados com saúde, beleza e condicionamento físico, essas pessoas buscam na alimentação, soluções para potencializar seus resultados e melhorar seu desempenho, sendo o nutricionista esportivo o profissional indicado para ajudá-los. Se você se enquadra nesse perfil, aproveite para saber mais sobre o nosso curso de Nutrição aplicada a prática esportiva, em Recife.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.